sexta-feira, 24 de julho de 2015

Te refiz em minha canção.

Te compus,
Numa simetria de pétala a pétala.
Como um quebra cabeça
Nas mãos do criador
Te encontrei.
Perplexa e nutrida de selvagens sonhos
Mesmo assim
Te refiz em minha canção.
Te levei.
Onde ninguém poderia te levar
E te amei
Como ninguém poderia te amar.
Oscar de Jesus Klemz