sexta-feira, 24 de julho de 2015

Por onde andas...

Andas por aí. 
Não sei onde, nem quanto tempo vais 
demorar até me encontrares. 
Se serão dias, ou se serão anos. 
Anos à espera de ti, da metade que me és 
— E de quem sinto tanta falta.
Independentemente do tempo, quero apenas que saibas
que a tua almofada já dorme ao meu lado. 
Que o teu lugar à mesa já está reservado. 
Que as palavras mais bonitas de amor vão ser ditas para ti. 
Que o meu beijo só terá sorrisos e conforto e promessas 
— dessas que querem durar uma vida inteira 
— Se for também um beijo teu. 
Que guardarei sempre o melhor de quem sou para ti.
Onde estás tu 
— A outra metade de mim?
Laura Almeida Azevedo